Mais da metade dos exames de saúde digestiva em SP são realizados pelo CIES

Mais da metade dos exames de saúde digestiva em SP são realizados pelo CIES

O CIES realiza 50,40% do volume de exames do trato digestório ofertados no SUS pela Prefeitura de São Paulo. O número considera o período entre abril de 2018 e fevereiro de 2019, quando as unidades da organização foram responsáveis por 60.054 colonoscopias e endoscopias digestivas altas (EDA).

Somente este ano, até abril, mais de 21 mil pessoas já realizaram os dois exames nas unidades do CIES. “Somos um dos principais prestadores desses serviços ao município”, destaca o médico endoscopista e diretor assistencial do CIES, Gilson Kamiyama.

No CIES, os exames do trato digestório são realizados nas Unidades Móveis Itaquera, Carrão, Santo Amaro (Joerg Bruder), Tucuruvi e Lapa. Desde 2013, quando a organização passou a ofertar os procedimentos, elas foram responsáveis por 37.648 colonoscopias e 206.977 EDA.

A realização desses exames teve um crescimento significativo ao longo da atuação do CIES em parceria com a Prefeitura de São Paulo. Em 2013, foram realizadas 730 colonoscopias e 4.735 EDA. Já no ano seguinte, houve o primeiro salto: 4.833 e 23.125, respectivamente. O crescimento continuou e, em 2018, foram 8.557 e 51.501.

Saúde digestiva

Os dois procedimentos são fundamentais para a garantia da saúde do trato digestório, prevenindo e tratando doenças. Na última quarta-feira (29), a Organização Mundial de Gastroenterologia celebrou o Dia Mundial da Saúde Digestiva. A data frisa a importância da prevenção de doenças dessa área, como gastrites, úlceras, câncer de esôfago, câncer de estômago, além do câncer colorretal, o tumor mais prevalente do aparelho digestivo e que está entre os mais frequentes no mundo.

“A endoscopia identifica alterações como lesões no estômago e esôfago que podem resultar em queimação, dores, úlceras e até iniciar um tumor. A colonoscopia diagnostica inflamações, como as colites, que causam diarreia. A partir dessas constatações, o médico consegue tratar de forma adequada os sintomas e contribuir com a melhoria da qualidade de vida do paciente”, explica Gilson Kamiyama.

Para evitar os problemas de saúde digestiva, a indicação é prezar por uma vida com hábitos saudáveis. Desde dormir bem até se alimentar melhor, passando pela prática de exercícios físicos.

“Manter uma alimentação balanceada e nos horários corretos, evitando sempre alimentos processados, industrializados, enlatados ou embutidos, ligados ao aumento do risco de alterações que provocam o câncer de estômago. Praticar exercícios físicos regularmente, combatendo o sedentarismo e a obesidade, que aumentam o risco de alterações no intestino”.